2 de dezembro de 2021 - 01:31

HomeVARIEDADESPesquisa: só 32,4% dos brasileiros vão comprar presente para o Dia dos...

Pesquisa: só 32,4% dos brasileiros vão comprar presente para o Dia dos Namorados

A pesquisa nacional de intenção de compras para o Dia dos Namorados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) aponta que a maioria dos brasileiros (51,7%) não vai comprar presentes para a data. Do total, apenas 32,4% pretendem presentear alguém e 15,5% ainda não se decidiram. Foram entrevistadas 1.602 pessoas em todas as regiões do País.

Vestuário, calçados e acessórios lideram as intenções de compras, com 36,8%; chocolates e bombons surgem em segundo lugar com 31%; e perfumes vêm em terceiro (27,7%). Roupas e sapatos, inclusive, por serem itens que podem custar um pouco mais, levaram 57,7% dos entrevistados a dizerem que pretendem parcelar as compras destes produtos.

Em geral, nas intenções de compra para a data prevalecem presentes de uso pessoal e de menor valor, pagos à vista. Ao contrário do Dia das Mães, em que, além desses itens, somam-se produtos para a casa, como móveis e eletrodomésticos.

A preferência de compra para roupas e calçado (36,8%) pode parecer alta para um período de pandemia, porém é bem abaixo do que costumava ser registrado durante o período pré-Covid-19. Anteriormente, entre 60% e 70% das pessoas investiam suas aquisições dentro desta categoria de presentes.

Produtos de uso pessoal na área de beleza, além de joias e bijuterias (11,9%), são sempre lembrados para os namorados. No entanto, há um item, em especial, que chama a atenção nesta pesquisa: os livros. Apesar de apenas 7,6% das pessoas afirmarem que querem presentear o namorado ou namorada com este produto, esse percentual representa o dobro da intenção de compra dos períodos anteriores à pandemia. Outro ponto que reflete o mundo que vivemos neste momento é que categorias que não eram mencionadas antes, como cesta de café da manhã e delivery de refeições, surgem na pesquisa com 15,8% das pretensões de compras.

Mesmo assim, as viagens ainda figuram na lista (7,8%) presente este que sempre esteve entre as preferências dos namorados. “Provavelmente, o turismo continua em alta, por conta da flexibilização das restrições à mobilidade social”, disse Marcel Solimeo, economista-chefe da ACSP. “Com esta pesquisa, dá pra concluir que em um ano de quarentena, com restrições ao varejo físico, o consumidor teve que adotar um novo modo de vida, que o obrigou a repensar os produtos e serviços adquiridos durante as datas festivas”, emendou.

Os entrevistados desta pesquisa puderam escolher mais de uma opção de compra para o Dia dos Namorados.

Estado de São Paulo

A Associação Comercial de São Paulo também tem o recorte estadual da pesquisa de intenção de compras para o Dia dos Namorados. Em São Paulo foram entrevistadas 709 pessoas distribuídas pela capital, região metropolitana, litoral e interior. Do total, somente 31,5% dos entrevistados disseram que pretendem comprar presentes para a data enquanto que 54,5% responderam que não têm essa intenção. Há ainda 14% de indecisos. Todos puderam escolher mais de uma opção de compras.

O estudo segue a mesma tendência do Nacional. Ou seja, as pessoas têm preferência por presentear o namorado ou namorada com roupas e calçados, que, apesar de aparecerem como itens que mais serão comprados, estão também em patamares relativamente baixo, com 37,3%, comparado ao que se via em período pré-pandemia.

Presentes de uso pessoal, na área de beleza, além de joias e bijuteria, também lideram as intenções de compra dos paulistas para a data, alcançando a 81,7% do total. Chocolates e bombons aparecem em segundo lugar, representando 35,7% dessas preferências.

“Em São Paulo, também surgem itens não usualmente adquiridos para a data, mas que refletem os efeitos das medidas de isolamento social, tais quais cesta de café da manhã e delivery de refeições”, diz Marcel Solimeo, economista-chefe da ACSP.

 

 

 

Diário do Ribeira / Agência Brasil

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS