20 de outubro de 2021 - 22:39

HomeBRASILCom Bolsonaro, Amazônia perdeu área equivalente a 3.300 campos de futebol por...

Com Bolsonaro, Amazônia perdeu área equivalente a 3.300 campos de futebol por dia

A área desmatada da Amazônia nos mil primeiros dias do governo cresceu 74% em relação ao mesmo período anterior à posse de Jair Bolsonaro (sem partido) na Presidência.

Nesse período, o desmatamento na Amazônia Legal consumiu uma área de 24,1 mil km². Os dados são do Deter (sistema expedito de alerta de desmatamento), do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e foram levantados pelo Greenpeace a pedido do UOL.

Segundo o cálculo da entidade, o total desmatado equivale a 2.410.000 hectares, enquanto a média de um campo de futebol padrão Fifa é de 0,729 hectares —ou seja, 3.305 campos foram derrubados durante o governo atual.

Os dados preocupam especialmente porque o Brasil vinha em uma longa sequência na década de reduções de queimadas e área desmatada, que voltaram a crescer sob o governo atual.

Outros dados da era Bolsonaro também chamam a atenção: em 2019, houve um aumento de 30,5% dos focos de queimada em relação ao ano de 2018. Já 2020 apresentou um novo aumento: de 15,7% em relação ao ano anterior.

A política ambiental do governo se tornou assuntou mundial em 2019, quando a Amazônia registrou uma alta no número de incêndios florestais, que veio após a redução de todo o aparato de fiscalização e prevenção do fogo.

“Isso demonstra que, desde o início, o projeto ambiental desse governo está dando certo: destruir todos os mecanismos legais e infralegais na nossa rede de proteção”, afirma Rômulo Batista, da campanha Amazônia do Greenpeace.

Recentemente, o Greenpeace integrou uma caravana que sobrevoou cidades do Pará, Amazonas, Rondônia e Mato Grosso para ver a destruição causada pelo fogo e pelo desmatamento da Amazônia. A visita rendeu uma série de imagens chocantes.

*Do UOL, por Carlos Madeiro

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS