20 de outubro de 2021 - 22:31

HomeDESTAQUES DO DIANível de abastecimento na Grande SP é o menor em 5 anos,...

Nível de abastecimento na Grande SP é o menor em 5 anos, diz Sabesp

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) informou que quatro dos sete mananciais responsáveis pelo abastecimento de água na região metropolitana de São Paulo estão abaixo da capacidade de armazenamento.

A última vez que o sistema de abastecimento contabilizou um volume de armazenamento similar foi em 3 de março de 2016, cinco anos se passaram e o maior sistema da região metropolitana de São Paulo emitiu novo estado de alerta, porém a dependência dos consumidos diminuiu visto que em 2016 o Cantareira abastecia cerca de 9 milhões de pessoas, hoje somam-se cerca de 7 milhões.

Segundo dados da Sabesp, Alto do Tietê com 45,8%, Rio Claro com 43,7% e Cantareira que já emitiu estado de alerta, com 38,3%. O estado de alerta é emitido em volumes de 30% e 39,9%. O volume normal é de pelo menos 60% de capacidade.

Em nota, a Sabesp informou que os níveis dos reservatórios são satisfatórios.

“A Sabesp informa que a projeção para a Região Metropolitana de São Paulo aponta níveis satisfatórios dos reservatórios com as perspectivas de chuvas do final da primavera e início do verão, quando a situação será reavaliada. Não há risco de desabastecimento neste momento, mas a Companhia reforça a necessidade do uso consciente da água. O sistema que abastece a RMSP, composto por 7 mananciais, é integrado e flexível, o que permite transferências de água entre regiões, conforme a necessidade. A capacidade de transferência de água tratada entre os diversos sistemas de abastecimento foi quadruplicada em relação ao período anterior à crise hídrica de 2014/15, passando de 3 mil litros/segundo em 2013 para 12 mil l/s em 2021. Ao mesmo tempo, a capacidade de reservação de água tratada saltou de 1,7 bilhão de litros em 2013 para 2,2 bilhões de litros em 2021. Nesta quarta (22/9), o Sistema Integrado opera com 39,8% da capacidade, nível similar, por exemplo, aos 41,8% de 2018, quando não houve problemas no abastecimento. A Sabesp vem realizando nos últimos anos ações que dão mais segurança hídrica, como a ampliação da infraestrutura, integração e transferência entre sistemas, além de campanhas para o consumo consciente.”

 

 

 

Diário do Ribeira / Gazeta SP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS