14 de abril de 2024 - 05:37

HomeDESTAQUES DO DIAUm em cada três motoristas acidentados fez uso de substância ilícita ou...

Um em cada três motoristas acidentados fez uso de substância ilícita ou bebida alcoólica

Pesquisa realizada pela USP (Universidade de São Paulo), aponta que um em cada três motoristas que se envolveram em acidentes usou substância ilícita ou ingeriu bebida alcóolica. O estudo avaliou 376 pacientes do Hospital das Clínicas com lesões traumáticas decorrentes de três causas, sendo 209 por acidente de trânsito.

Segundo o portal “R7”, dos pacientes avaliados 64 (ou 32%) ingeriram alguma substância — ilícita ou bebida alcoólica — ao volante:

• 44 (21%) ingeriram bebida alcoólica;
• 23 (11%) usaram cocaína;
• 12 (6%) usaram maconha.

Para Henrique Bombana, um dos responsáveis pelo estudo, os dados reforçam o risco de acidentes no trânsito devido ao uso de álcool e outras drogas.

“Essas substâncias, além de causarem prejuízos cognitivos e motores, levam o usuário a cometer atos de alto risco que podem desencadear acidentes”, disse Bombana, em entrevista para o “R7”.

Para o pesquisador, outro fator que corrobora para as ocorrências é a falta de políticas públicas mais eficientes. Principalmente, as campanhas e as fiscalizações, prossegue ele, deveriam ser reforçadas. A ausência de uma oferta mais abrangente e eficiente de transporte público também contribui para o alto número de casos.

“Em outras cidades, o problema pode ser ainda maior do que em São Paulo”, reforça.

Por fim, Bombana afirma a necessidade de um banco de dados nacional para colaborar com a pesquisa, as investigações e, portanto, o enfrentamento desse problema.

De acordo com o pesquisador, o fato de o uso da cocaína ser mais identificado que o da maconha surpreendeu os pesquisadores, uma vez que a maconha é uma substância mais detectada entre pacientes em serviços de emergência.

Motociclistas são as principais vítimas

Outro dado que chamou atenção foi o alto número de motociclistas entre os acidentados: ao todo, foram 94 (25%) das 209 vítimas. Pedestres (15%), passageiros (7%), motoristas de carro e caminhão (5%) e ciclistas (3%).

Henrique Bombana explica que, em geral, até 2018, pedestres eram as principais vítimas de acidentes de trânsito. Mas, desde então, os motociclistas passaram a ocupar o primeiro lugar da lista.

Diário do Ribeira / Gazeta SP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS