14 de abril de 2024 - 05:28

HomeDESTAQUES DO DIACajati é um da 10 escolhidas para participar do projeto "Alavancas para...

Cajati é um da 10 escolhidas para participar do projeto “Alavancas para a Educação Inclusiva de Qualidade”, do Instituto Rodrigo Mendes

Cajati se destaca mais uma vez como de exemplo de Educação Inclusiva, dentre os 10 municípios escolhidos para participar do projeto “Alavancas para a Educação Inclusiva de Qualidade”, do programa Instituto Rodrigo Mendes (IRM. O município é o único representante no Estado de São Paulo, e ficou entre os dois escolhidos, junto com Pato de Minas (MG), englobando toda a região Sudeste.

O Alavancas para Educação Inclusiva de Qualidade (IRM), é um projeto gratuito, que tem o objetivo de influenciar as políticas de formação em educação inclusiva, visando a melhoria de sua qualidade. E Cajati avançou na área de Educação Inclusiva, atualmente o município atende 203 crianças com necessidade educacional especial, e conta com 6 salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE). E os auxiliares, a equipe multidisciplinar e os professores estão constantemente sendo preparados para atender esse público.   “Sentimos orgulho e esperança, porque foi muito concorrido, dos mais de 100 municípios inscritos, ficamos entre os 10 escolhidos, um projeto com uma dimensão muito grande, que vai nos dar força e mostrar se estamos no caminho certo, nos direcionar melhor, até porque estamos no auge de atendimento de  educação especial no Município. Nós atendemos 203 pessoas com necessidades educacionais especiais e vão aparecer mais, e precisamos cuidar desse público”, disse a coordenadora técnica pedagógica de Cajati e interlocutora responsável pelo projeto, Oldair Gomes de Oliveira, conhecida como “Deka”, que juntamente com a coordenadora técnica e facilitadora, Juliana de Amaro,  são responsáveis pelo projeto no Município.

A pequena munícipe e aluna do primeira série, Maria Eduarda Saturnino de Andrade, com 7 anos, tem atendimento de Libras, fisioterapia, fonoaudiologia e AEE. “Minha filha está bem comunicativa, aprendeu libras e interage em sala de aula com os amigos. As professoras se esforçam muito para Maria Eduarda não se sentir excluída, tanto que os demais colegas também estão aprendendo libras. Graças à Deus minha filha se sente bem e melhorou muito”, disse a mãe de Maria Eduarda, Denise Saturnino.

Foram escolhidos municípios das cinco macrorregiões do Brasil,  e na Região Sudeste, Cajati e Pato de Minas (MG), são as duas cidades escolhidas para participar do projeto de Educação Inclusiva. “Apresentamos todo o trabalho que vem sendo feito na educação inclusiva no geral,  através de resoluções, que é um documento norteador das escolas. Eles valorizaram muito o trabalho que a gente vem fazendo há muito tempo, e a partir disso, cada vez mais melhorando. E o interesse do Instituto é potencializar o Município que já está atuante na área de Educação Inclusiva, e com o caminho trilhado, fica mais fácil eles darem um reforço, e esse foi o nosso diferencial. E vamos pegar este projeto com “unhas e dentes”, porque é um orgulho pra nós”, afirma Deka.

Para participarem do processo de seleção para o Alavancas, o Departamento de Educação e Cultura, representado pelo professor de educação básica II, Augusto Sbrisse Neto da Costa, que fez a elaboração do projeto de toda a estrutura de educação especial do Município, e a inscrição das 12 escolas com os estudantes público-alvo da educação especial, tais como: pessoas com Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD)  Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou com altas habilidades e/ ou superdotação.  E todas tinham professores da sala de aula comum e de Atendimento Educacional Especializado (AEE), e um gestor escolar (coordenador pedagógico ou diretor). Cajati atendeu todos os critérios solicitados, e por isso ficou entre os 10 municípios escolhidos.

O projeto Alavancas terá uma duração de três anos consecutivos, e será dividido em etapas: Neste ano, Cajati e mais 9 municípios selecionados vão participar de um curso de formação para educadores, gestores escolares e técnicos de secretarias de educação, que vão elaborar projetos, gerar multiplicadores e influenciar políticas públicas. E as aulas terão como objetivo articular o conhecimento teórico e prático em educação inclusiva, sendo abordados temas como direitos humanos, legislação, acessibilidades, desenho universal para aprendizagem, trabalho colaborativo, tecnologias digitais, entre outros.

Os primeiros encontros já aconteceram nos dias 7 e 8 de março, em São Paulo (SP), e as duas coordenadoras técnicas pedagógicas de Cajati responsáveis pelo projeto, a interlocutora Oldair Gomes de Oliveira e a facilitadora Juliana de Amaro participaram dos encontros com as despesas custeadas IRM.
O próximo passo será a aula inaugural de videoconferência com os cursistas do IRM presentes, que acontecerá nesta quarta-feira, dia 15 de março, às 13h, na sala de informática do Departamento de Educação e Cultura. E o ciclo formativo segue até junho de 2023.

E em 2024, o IRM vai promover um curso de formação para técnicos das secretarias municipais de educação para elaboração de políticas de formação em educação inclusiva. Já em 2025, a programação prevê o monitoramento da implementação das políticas elaboradas em 2024 e a realização de uma pesquisa sobre os impactos gerados pelos cursos.
Sobre o Instituto Rodrigo Mendes – O Instituto Rodrigo Mendes (IRM) é uma organização sem fins lucrativos com 28 anos de existência, que tem como missão colaborar para que toda pessoa com deficiência tenha uma educação de qualidade na escola comum. Seus projetos estão organizados a partir de uma arquitetura baseada em três pilares: produção de conhecimento e formação de educadores.

Veja os demais Municípios escolhidos: Maués (AM) e Óbidos (PA), do Norte; Campo Formoso (BA), Gado Bravo (PB) e Irauçuba (CE), do Nordeste; Lucas do Rio Verde MT), do Centro-Oeste; Cajati (SP) e Pato de Minas (MG), do Sudeste; e, por fim, Alvorada (RS) e Canguçu (RS), do Sul do país.

Diário do Ribeira 

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS