3 de julho de 2022 - 18:30

HomeDESTAQUES DO DIAÔmicron é encontrada em animais em Nova York e preocupa especialistas

Ômicron é encontrada em animais em Nova York e preocupa especialistas

Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (8) revelou que foram encontrados anticorpos para o novo coronavírus, atribuídos à variante ômicron, em uma população de veados em Nova York, nos Estados Unidos. Com a descoberta, especialistas receiam que a espécie possa se tornar hospedeira de nova cepa do coronavírus

A espécie de veados de cauda branca reúne uma população de 30 milhões de animais nos Estados Unidos (EUA). O estudo foi feito com uma amostra de 131 destes bichos na cidade de Staten Island e mostrou que quase 15% deles receberam, em algum momento, o vírus causador da Covid-19.

Além disso, cientistas da Universidade Estadual da Pensilvânia, que lideram o estudo, afirmaram que estes animais podem ter se reinfectado por longos períodos e por versões diferentes do vírus, sendo vulneráveis a novas variantes.

“A circulação do vírus em população animal sempre aumenta a possibilidade de voltar aos humanos, oferecendo oportunidades para o vírus evoluir para novas variantes”, disse Suresh Kuchipudi, microbiologista veterinário da Universidade Estadual da Pensilvânia.

“Quando o vírus sofre mutação completa, ele pode escapar da proteção da vacina atual. Então, teríamos que mudar a vacina novamente”, afirmou Kuchipudi.

Esta é a primeira vez que a Ômicron é detectada em animal selvagem e a descoberta no momento em que se observa um aumento das infecções por Covid-19, impulsionadas pela cepa que representa a maior parte dos casos da doença na população norte-americana.

Ainda não há evidências de que animais estejam transmitindo o vírus para humanos, mas a maioria das infecções por coronavírus observada nos animais ocorreu com aqueles que tiveram contato próximo com pessoas infectadas, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA.

Anteriormente, o governo norte-americano havia identificado os primeiros casos mundiais de Covid-19 em veados selvagens em Ohio, com a cepa até então mais conhecida da doença.

 

Diário do Ribeira / Gazeta SP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS