24 de setembro de 2021 - 18:50

HomeMUNDOChile e Argentina vivem embate diplomático por território

Chile e Argentina vivem embate diplomático por território

Desde o final de agosto uma disputa territorial tem provocado um embate diplomático entre Chile e Argentina. Os dois países entraram em desacordo quando o presidente Sebastián Piñera publicou uma atualização da carta náutica do país.

No novo mapa, a área referente ao Chile inclui uma zona de 5.500 km² de água, ao sul do continente, que antes constava como pertencente à Argentina. A medida afeta o trânsito internacional de barcos e a concessão de licenças para barcos pesqueiros que atuam na região.

Argentina, por sua vez, alega que a divisão é regulada por dois acordos, a Convenção da ONU sobre o Direito Ao Mar, de 1982, e o Tratado de Paz e Amizade Argentino-Chilena, de 1984. Também afirmou estar surpresa com o momento da contestação, que, para o chanceler do país, Felipe Solá, estaria relacionada a uma “vontade de se expandir, de modo intempestivo, uma vez que o território físico chileno é limitado”.

Piñera, para quem a publicação das novas cartas é fruto da necessidade de “demonstrar a existência da plataforma continental do país no mar Austral”, disse que, em novembro, levará o pedido de reconhecimento do mapa à Organização das Nações Unidas.

De 1978 a 1984, Chile e Argentina travaram uma disputa feroz por três ilhas localizadas no Canal de Beagle que quase terminou em guerra. Depois que todas as vias diplomáticas se esgotaram, apelou-se para uma mediação do papa João Paulo 2º. Por fim, chegou-se a um acordo sobre os limites das fronteiras marítimas, agora novamente contestado pelos chilenos.

Ainda que os argentinos tenham expressado surpresa com a reclamação, o Chile afirmou não ter atuado de forma súbita e que desde 2009 alertava o país vizinho da intenção de reclamar a região.

O chanceler chileno, Andrés Allamand, divulgou um vídeo recentemente em que insta os dois países a um diálogo para negociar as posições.

A chancelaria argentina, porém, afirma que este “não é um momento de diálogo, mas de informar, explicar, qual é a nossa posição”.

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

Foto: Esteban Felix – AP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS