21 de setembro de 2021 - 01:36

HomeDESTAQUE DA HORAAdolescente de Cananéia é uma das mobilizadoras de projeto da Unicef

Adolescente de Cananéia é uma das mobilizadoras de projeto da Unicef

Julia Mammana Calasans, moradora de Cananéia, é uma das mobilizadoras da iniciativa realizada pelo UNICEF, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Agenda Pública e o Instituto Camará Calunga.

Lançado em 2020, o Crescer com Proteção busca fortalecer políticas de prevenção e enfrentamento das diversas formas de violência contra crianças e adolescentes por meio do incentivo à educação, à inclusão de meninas e meninos no mercado de trabalho e à participação dos jovens na construção de políticas públicas.

O projeto segue até o final de 2021 em oito municípios da Baixada Santista e do Vale do Ribeira, incluindo Cananéia.

A forma que Julia encontrou para driblar a timidez e expressar suas ideias foi recorrer ao giz pastel, à tinta a óleo ou à aquarela. Para ela, a arte, em especial o desenho, serve para ver o mundo de outra forma, a partir de novos ângulos. Segundo ela, falar sempre foi um desafio, e o ato de desenhar, um dom. Contudo, sua relação com as palavras e a forma de se expressar vem mudando.

Ao participar da iniciativa Crescer com Proteção, a jovem de 18 anos notou a importância de sua voz ser ouvida.

“Eu queria participar para aprender a falar com as pessoas, lidar com os problemas, saber como posso ajudar a cidade, discutir e debater assuntos importantes. Foi uma experiência muito boa. Melhorei minha comunicação. Conheci gente diferente, de vários lugares, com outras experiências. Fiz amizades”, conta.

Com outros 32 adolescentes e jovens das oito cidades participantes da iniciativa, Julia recebeu capacitação para se tornar uma mobilizadora em sua cidade. Participou de cursos e rodas de conversa on-line sobre identidade, direitos e engajamento dos jovens no debate público.

A partir de sua formação, ela e os outros mobilizadores criaram os Núcleos de Cidadania de Adolescentes (Nucas) e disseminaram o que aprenderam para cerca de 96 adolescentes da região.

Segundo Julia, a criação do Nuca trouxe uma opção de encontro e construção coletiva para os adolescentes de Cananéia. Ela conta que uma das atividades propostas pelo grupo foi a distribuição de cartazes lambe-lambes para que fossem colados nos muros da cidade, convidando os moradores a contar histórias de vida e do local.

A expectativa é divulgar o material compartilhado pelas redes sociais, com o objetivo de oferecer aos moradores de Cananéia uma melhor compreensão das mudanças vivenciadas por eles ao longo dos tempos.

“Essa é uma oportunidade de conhecer a história de outras pessoas, aprender sobre a cidade, realidades e lugares diferentes. A gente aprende muito com as pessoas. É também um registro para a gente ver a mudança no futuro”, diz.

Com a troca de experiências, Julia aprimorou seu processo de socialização. Falar com as pessoas não é mais tão desafiador como antes e, hoje, ela sonha em aprender outros idiomas e conhecer o mundo. E repassar o que aprendeu para o maior número de pessoas.

Com informações de: Unicef

 

Diário do Ribeira

 

Boteco do Véio II

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS