24 de setembro de 2021 - 18:40

HomeDESTAQUES DO DIAPolícia Civil detém 265 em 24h na Baixada e no Vale e...

Polícia Civil detém 265 em 24h na Baixada e no Vale e alerta sobre Pix

A Polícia Civil deteve 265 pessoas em 24 horas na Baixada Santista e no Vale do Ribeira e fez um alerta, em entrevista coletiva, sobre limites diários de Pix. Sequestros relâmpagos e roubos com bandidos fazendo Pix explodiram no Estado e, em Peruíbe, dois foragidos do sistema prisional foram capturados na quarta-feira (25) por sequestrarem três jovens para realizarem este tipo de crime. Estas prisões estão entre os destaques da operação, que ocorreu entre as 11h de quarta-feira e 11h desta quinta-feira (25) e também combateu tráfico de drogas, furtos e outros delitos.

Questionado pelo Diário do Litoral, na entrevista coletiva, sobre quais são as recomendações do Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6) para a população da Região, o diretor, Manoel Gatto Neto, afirmou que os correntistas devem limitar Pix a um valor mínimo, para pequenas despesas do cotidiano.

“Pix para grandes transações não deve estar à disposição no celular. Não deve estar de fácil acesso para uma eventual abordagem de ladrões”, disse o delegado.

Para o delegado Carlos Henrique Fogolin de Souza, seccional de Itanhaém, ter uma relação de beneficiários para Pix pode tornar a situação para evitar grandes prejuízos. “O problema do Pix está variando de banco para banco. O Santander exige para uma transação um pouco maior que você tenha a pessoa como beneficiária sua. Se ela não estiver pré-cadastrada você vai conseguir passar um valor muito pequeno para a outra pessoa. Os bancos estão se organizando para criar uma regra única”, disse.

 

Delegados durante entrevista coletiva no Palácio da Polícia nesta quinta-feira (26) (Foto: Gilmar Alves Jr./DL)

 

Há casos em que os bancos não ressarcem as vítimas alegando que a senha pessoal é de conhecimento restrito do correntista. Por esse motivo, há um consenso entre especialistas de que devem ser limitados a determinados valores os limites diários de transferências para reduzir prejuízos.

Os três jovens rendidos em Peruíbe, no último dia 21, foram mantidos reféns em um Jeep Renegade, que pertence ao pai de um deles, e obrigados a fazerem transações por Pix, bem como tiveram celulares e outros pertences subtraídos.

A equipe do delegado Marcos Roberto da Silva, titular de Peruíbe, e do investigador-chefe, Adalberto Ribeiro, chegou nesta quarta-feira ao imóvel em Peruíbe onde os acusados usavam como base, mantendo grande quantidade de drogas ainda.

Um dos presos disse que é de Santos e teria “arrendado” um ponto de tráfico em Peruíbe onde iria comercializar drogas com seu comparsa. O Jeep Renegade foi recuperado em uma vegetação em frente ao imóvel.

 

Jeep Renegade do pai de uma das vítimas de sequestro relâmpago foi recuperado pelos investigadores de Peruíbe (Divulgação)

 

“O trabalho continua. Eles fizeram várias vítimas em Peruíbe. A Polícia Civil vai levantar os BOs de outras vítimas para convidar essas vítimas a procederem o reconhecimento pessoal dos acusados para que eles respondam também por esses crimes que eles cometeram”, disse o delegado Fogolin.

O delegado Flávio Ruiz Gastaldi, que acumula as seccionais de Praia Grande e Santos, apresentou como um destaque a apreensão de mais de 27 quilos de drogas no Bolsão 9, em Cubatão, e a prisão de dois acusados de tráfico, que operavam varejo no local usando rádio comunicadores.

Ele também frisou que em Guarujá traficantes pagavam o aluguel de um casal para o armazenamento de drogas. “Para tentar burlar os trabalhos dos policiais eles vão mudando as atividades. Estavam pagando familiares para armazenar a droga. Um casal foi preso armazenando quase três mil porções de drogas para a venda”, disse Gastaldi.

Titular da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) regional, o delegado Renato Mazagão Júnior destacou na entrevista a captura do procurado da Justiça da Bahia, acusado de homicídio, que foi localizado em Peruíbe, onde atuava como montador de móveis. O homem ficou foragido por 20 anos. “Está difícil se esconder no Brasil. A integração (entre as polícias) está cada vez maior”, frisou.

 

Números

Das 265 pessoas detidas na operação, 121 foram por mandado de prisão, nove por mandado cível, 23 são adolescentes, 39 foram presas em flagrante e 73 foram autoras de crimes de menor potencial ofensivo, sendo liberadas após o registro de Termos Circunstanciados (TC´s).

Houve a apreensão de 51 quilos de drogas, além de 20 litros do tóxico lança-perfume, de oito veículos e quatro armas de fogo. Participaram 361 policiais em 121 viaturas.

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS