23 de setembro de 2021 - 09:36

HomeDESTAQUES DO DIAMuseólogos promovem trabalho que evidencia potencial do Museu de Cananéia

Museólogos promovem trabalho que evidencia potencial do Museu de Cananéia

Já com um longo período sem visitação, em decorrência da pandemia e, ainda, por conta da inadiável necessidade de reformas na estrutura, incluindo parte elétrica, pintura e restauro de acervo, o Museu Municipal Histórico e Artístico Victor Sadowski, localizado em Cananéia, recebeu a visita de uma equipe de museólogos, composta por Leonardo Vieira, Susana Costa e Leila Antero, que ainda contaram com as contribuições de Denyse Emerich e Carlos Augusto de Oliveira.

Neste primeiro momento, a equipe realizou ações que incluíram a higienização dos itens do acervo e a organização da Reserva Técnica e, posteriormente, retornarão para reorganizar a exposição.

 

Acervo do Museu Municipal Histórico e Artístico Victor Sadowski; Foto por: Leonardo Vieira

 

A iniciativa é viabilizada por meio do Edital nº 13/2020 do Programa de Ação Cultural (PROAC) editais modernização de museus, arquivos e acervos no Estado de São Paulo e tem como objetivo a realização de ações de salvaguarda (preservação e conservação) e a reorganização da exposição de longa duração, que será norteada tendo como base o conceito de “museu de cidade”, proposto por Ulpiano B. de Meneses (1985, 2003).

“Com o intuito de contribuir com a preservação do acervo, realizaremos ações de higienização, inventário, descrição e fotografação do acervo, além de elaborar e executar uma proposta de documentação e conservação, necessária para uma boa gestão do acervo”, explica o museólogo e historiador Leonardo Vieira.

 

Acervo do Museu Municipal Histórico e Artístico Victor Sadowski; Foto por: Leonardo Vieira

 

Leonardo avalia a importância deste trabalho, como forma de evidenciar o potencial do Museu Histórico e Artístico de Cananéia Victor Sadowski, que abriga e gerencia diversos bens simbólicos que revelam as múltiplas identidades das comunidades de Cananéia, fomentando, inclusive, o turismo no município, aquém de praias e passeios ecoturísticos.

“A conexão de significados entre o museu e outros espaços da cidade tem muito a contribuir com o fluxo turístico atendido por Cananéia, estimulando a formação de um circuito de visitação que valoriza as singularidades de cada espaço e possíveis relações que guardem entre si, e gere renda a comunidades tradicionais que mantém produções artesanais de diversos gêneros e objetos ou uma programação cultural ativa. O circuito pode abranger comunidades de pescadores, quilombolas (Comunidade Quilombola do Mandira), indígenas, de artesãos/ãs etc., e também espaços já consolidados no turismo: a Igreja Matriz Paróquia São João Batista (construída entre 1660 e 1680), o Mirante Morro São João, a Rua do Artesão, as cachoeiras (Rio das Minas, Pitu, do Encanto, do Mandira etc.), os sambaquis, entre outros espaços de história e memória da cidade. A própria arquitetura do casarão que abriga o Museu é um exemplo eloquente de conexão entre o acervo museológico e o território sociocultural do museu e de seus públicos”, avalia Leonardo.

Alicerçada em 3 etapas, o projeto chega para dinamizar o trabalho da equipe administrativa no local, e em contrapartida encontra alguns desafios, no que diz respeito ao inventário do acervo, uma vez que, de acordo com o museólogo, há muitas lacunas na documentação das peças, o que dificulta o trabalho de conferir o acervo da instituição.

“Mesmo diante deste desafio, a partir do momento em que finalizarmos o inventário, a equipe da instituição terá melhores condições de identificação e controle do acervo, possibilitando uma melhor gestão dos processos museológicos de salvaguarda e de comunicação museológica”, explica Leonardo.

 

Acervo do Museu Municipal Histórico e Artístico Victor Sadowski; Foto por: Leonardo Vieira

 

Ainda, de acordo com ele, as principais mudanças que serão notadas pela equipe diz respeito à ações de inventário e higienização das peças e de acondicionamento dos objetos na Reserva Técnica.

“Destacamos estas ações pois elas serão fundamentais para que o processo de documentação e preservação do acervo seja empreendido de forma mais eficiente. O acondicionamento do acervo na Reserva Técnica, por exemplo, possibilitará o controle das condições de temperatura e umidade a que os objetos estarão expostos, o que faz com que o processo natural de deterioração física dos itens seja lentificado e, consequentemente, cada vez mais gerações da população de Cananéia e de todo o estado de São Paulo tenha acesso ao patrimônio musealizado pelo Museu”, detalha Leonardo.

Dentre as mudanças que poderão ser notadas pelos visitantes, o profissional aponta para a exposição em si e para o estado de conservação dos objetos, resultado advindo da higienização das peças do acervo.

Aquém do espaço físico, Leonardo faz uma leitura de um viés de ligação do Museu com a identidade histórica do município. “Poderá ser notado uma maior conexão do Museu com o patrimônio da cidade de Cananéia, afinal pretendemos estabelecer conexões, por meio da proposição de roteiros educativos, entre a exposição do Museu e diversas referências culturais presentes no tecido urbano de Cananéia.”

A previsão inicial de conclusão de todas as etapas do projeto é até agosto de 2021. Porém, de acordo com Leonardo, o cronograma pode ser alterado devido às restrições impostas pela pandemia.

 

Por: Érica Xavier/Diário do Ribeira

 

 

 

 

.

 

 

 

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS