18 de junho de 2021 - 05:50

HomeESTADOInsumos para produção da CoronaVac chegam a São Paulo na segunda

Insumos para produção da CoronaVac chegam a São Paulo na segunda

Uma nova remessa de insumos da CoronaVac do laboratório Sinovac para o Instituto Butantan estava na manhã desta quinta-feira no Aeroporto Internacional de Pequim, na China, à espera de procedimentos burocráticos para embarcar ao Brasil. De acordo com o Governo de São Paulo, a carga destinada ao Instituto Butantan deve desembarcar no País na próxima segunda-feira (19).

A carga com 3 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) será utilizada para produzir 5 milhões de doses da vacina contra a Covid-19. As doses devem começar a ser entregues a partir do dia 3 de maio ao governo federal, conforme revelado por Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, em coletiva de imprensa na última quarta-feira (14).

Segundo a gestão João Doria (PSDB), o Governo de São Paulo já completou 40,7 milhões de doses entregues ao PNI (Programa Nacional de Imunizações). O total de envios corresponde a 88,4% das 46 milhões de doses previstas até 30 de abril no primeiro contrato do Instituto Butantan com o Ministério da Saúde.

Em março foram entregues 22,7 milhões de doses. Em fevereiro, 4,85 milhões e, em janeiro, 8,7 milhões de unidades.

 

Novos grupos

O governador João Doria (PSDB) anunciou no início da tarde desta quarta-feira a vacinação contra a Covid-19 para novas faixas etárias do grupo prioritário. A partir do dia 29 de abril começam a ser vacinados idosos de 63 e 64 anos. Uma semana depois, em 6 de maio, serão imunizadas as pessoas com idade entre 60 e 62 anos.

A estimativa é a de vacinar até 840 mil pessoas de 63 a 64 anos, e 1,4 milhão de idosos entre 60 e 62 anos.

Doria condicionou, no entanto, a aplicação à chegada de doses da vacina de Oxford, produzidas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), uma instituição federal. A contrário do que vinha acontecendo no Estado, as novas faixas etárias serão vacinadas, em sua maioria, com o imunizante envasado pela Fiocruz.

“A vacinação dependerá aqui da entrega da vacina AstraZeneca da Fiocruz. A Fiocruz informou o governo do estado de São Paulo, os governadores e o Ministério da Saúde sobre a entrega da AstraZeneca. E essas pessoas nessas faixas etárias serão vacinadas majoritariamente com a vacina da Fiocruz, mas também com a vacina do Butantan”, explicou Doria.

Até agora, a campanha de vacinação paulista vinha dependendo basicamente das doses da CoronaVac, envasada pelo Instituto Butantan, que é ligado ao governo estadual.

Neste momento, desde segunda-feira (12), o Estado está vacinando os idosos de 67 anos. No dia 21, está previsto para iniciar a imunização de pessoas de 65 e 66 anos.

 

Diário do Ribeira / Gazeta SP

Foto: Tânia Rêgo

ULTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS