• Seja bem vindo ao Diário da Ribeira!
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Câmara de SP se transforma, mas mantém famílias tradicionais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

A Câmara Municipal de São Paulo vai receber 21 novos vereadores das 55 cadeiras existentes. Pela primeira vez, a Casa terá mandatos coletivos (serão dois, relacionados ao feminismo e ao movimento negro) e também de forma inédita elegeu transexuais: Erika Hilton (PSOL) e Thammy Miranda (PL). Entre os eleitos, 10 se declaram como negros – o dobro da legislatura anterior – e uma como indígena. Famílias tradicionais da política paulistana se mantiveram, com a eleição de George Hato (MDB), dos irmãos Roberto Tripoli (PV) e Tripoli (PSDB) e dos também irmãos Arselino e Jair Tatto (ambos do PT). O vereador há mais tempo na Casa é justamente Arselino Tatto, eleito sucessivamente desde 1988. Uma das ausências marcantes é a de Toninho Paiva (PL), nome tradicional da Casa, que desta vez conseguiu votos apenas para ser suplente.

2º turno

Na quinta-feira (19), Joice Hasselmann (PSL) e Marina Helou (Rede) declararam apoio no segundo turno na Capital a Bruno Covas (PSDB) e a Guilherme Boulos (PSOL), respectivamente. Com isso, faltava apenas o posicionamento de Márcio França (PSB) entre os 10 mais bem votados no primeiro turno. França decidiu que se manterá neutro, apesar da pressão do PSB a favor de Boulos, e lembrou, internamente, não ter recebido apoio do PSOL no segundo turno para o governo de SP em 2018. O PSB, porém, vai apoiar o psolista mesmo sem França.

3 a 3

Por ora, Bruno Covas conta com apoio declarado de Joice Hasselmann, Celso Russomanno (Republicanos) e Andrea Matarazzo (PSD). Guilherme Boulos, por sua vez, tem ao seu lado Marina Helou, Jilmar Tatto (PT) e Orlando Silva (PCdoB). Já Arthur do Val (Patriota) declarou que vai permanecer neutro neste segundo turno.

Investigação

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) vai investigar as razões por que vários planos de saúde que atuam no estado de São Paulo não ofereceram terapias on-line durante a pandemia da Covid-19, principalmente a pessoas com deficiência. “É absurdo que justo nesse momento de pandemia os planos de saúde se neguem a prestar assistência remota aos seus clientes”, explicou a deputada federal Sâmia Bomfim, que em maio acionou o MP-SP ao lado da jornalista e ex-candidata a vereadora Andréa Werner (ambas do PSOL) para pedir investigação sobre as empresas.

Memorial

O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) defende a criação do Memorial José Bonifácio, no centro de Santos, em homenagem ao Patrono da Independência do Brasil. Segundo Coimbra, a construção do memorial seria também um incentivo ao turismo na Baixada Santista. “Os eventos comemorativos podem aumentar a geração de renda nas cidades e permitirão a abertura de novas vagas no mercado de trabalho”. O Bicentenário da Independência do Brasil será celebrado em 2022 com vários eventos pelo País.

“Negro geme porque apanha/Apanha pra não gemer”

Solano Trindade, poeta recifense (1908-1974)

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESTAQUES DO DIA

DESTAQUES DA SEMANA

Diego Maradona morre em casa aos 60 anos

O ex-jogador Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos. O maior jogador da história do futebol argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória em casa, em Tigre. Maradona havia recebido alta no dia 11

Leia Mais »