• Seja bem vindo ao Diário do Ribeira!
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

  • 8 de maio de 2021
  • 05:16

Mulheres representam 33,3% das candidaturas deste ano

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Apesar de as candidaturas femininas terem tido uma alta este ano, o número ainda está longe daquele que as brasileiras representam na população. As mulheres são 52,2% do eleitorado, porém, representam 33,3% do total de candidaturas para as eleições municipais deste ano. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foram cerca de 183 mil candidaturas de mulheres entre 552 mil pedidos gerais.

No entanto, mesmo com uma representatividade abaixo da real representação da população brasileira, o número de candidaturas femininas é o maior desde 2016, quando as mulheres representavam 31,9% do total de candidaturas.

“[É] Um baixo crescimento, ainda muito tímido, em que pese o esforço realizado no último ano por vários partidos”, disse a coordenadora da Bancada Feminina na Câmara, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO).

De acordo com a parlamentar, alguns motivos explicam esse crescimento aquém do desejável. “Nós entendemos que, além do efeito da pandemia, também tem toda uma questão de uma política contínua de formação, para que as mulheres possam despertar esse interesse, ter segurança em relação ao envolvimento na política, a questão do financiamento não é automático, ainda está sob controle dos líderes partidários”, ressaltou.

Cartilha

No fim de setembro, a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados lançou a cartilha “Mais Mulheres na Política – Eleições 2020”, com orientações para as candidatas.

O documento foi confeccionado pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, em colaboração com a Secretaria da Câmara.

A deputada Professora Dorinha destacou que a cartilha orienta as mulheres que estão envolvidas na disputa político-partidária. “Desde o ponto de vista da organização de campanhas, da estruturação do trabalho a partir da identificação de lideranças, a legislação e, logicamente, a garantia em relação ao financiamento”.

*Com informações da Agência Câmara de Notícias

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESTAQUES DO DIA