• Seja bem vindo ao Diário do Ribeira!
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

  • 8 de maio de 2021
  • 05:12

NAPS de Santos sofre com infestação de mosquitos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

O Núcleo de Apoio Psicossocial (NAPS), localizado na Avenida Coronel Joaquim Montenegro, em Santos, tem sofrido há meses com infestação de mosquitos. Quem afirma são os vizinhos da casa onde funciona o equipamento.

O imóvel locado pela Prefeitura possui uma piscina, que está vazia e tampada com uma lona. O problema é que quando venta e chove, a lona levanta e água fica empoçada dentro da piscina, o que transforma o local num criadouro de mosquitos.

Os vizinhos do imóvel afirmam que já entraram em contato com a Prefeitura outras vezes e que uma equipe é enviada ao local para verificar a situação, porém nenhuma providência é tomada para resolver de vez o problema.

“O teto dos quartos e da sala fica cheio de mosquitos, principalmente durante a noite. Muitos são rajados e nosso maior medo é a transmissão da dengue”, diz um dos moradores do prédio ao lado do NAPS.

“Fizemos uma reclamação na Prefeitura há uns três meses e eles mandaram um rapaz com máquina de sucção de água. Da minha janela deu pra ver o tanto de água que saiu de dentro da piscina. Por isso que não adianta tampar só com a lona porque a já deve estar tudo acumulado de novo”, conclui.

PREFEITURA

Questionada, a Prefeitura de Santos informou que, diante da nova queixa, a Seção de Controle de Vetores realizou vistoria na quinta-feira (17) e o proprietário do imóvel será intimado para providências e adequações visando evitar o acúmulo de água.

Disse também, por meio da Secretaria de Saúde Municipal, que o imóvel é classificado como especial, por isso é alvo de vistorias periódicas pelos agentes de controle de endemias e aplicação de larvicida.

Afirmou ainda que a piscina da unidade fica constantemente coberta com lona e a equipe de limpeza retira empoçamentos que surgem após as chuvas para impedir o surgimento de larvas do mosquito Aedes aegypti.

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESTAQUES DO DIA