• Seja bem vindo ao Diário da Ribeira!
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Bolsonaro proíbe falar em Renda Brasil e diz: ‘vamos continuar com o Bolsa Família’

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (15) que vai manter o programa Bolsa Família e que “está proibido” falar em Renda Brasil. “Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família. E ponto final”, afirmou.

O Renda Brasil chegou a ser discutido no governo para ser o substituto do Bolsa Família, no entanto Bolsonaro e o Ministério da Economia não conseguiram chegar a um acordo sobre os cortes em gastos do governo que deveriam ser feitos para financiar o novo programa.

A declaração do presidente sobre manter o Bolsa Família foi divulgada em um vídeo nas redes sociais. Na gravação, Bolsonaro também ameaçou com “cartão vermelho” integrantes da equipe econômica que defenderem medidas como o corte de benefícios de aposentados e deficientes.

A medida, que vinha sendo estudada pela Economia e pela Cidadania, poderia gerar uma economia de R$ 10 bilhões por ano. O objetivo seria endurecer a regulamentação dos critérios para recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Bolsonaro disse ter ficado “surpreendido” ao ler as manchetes dos jornais desta terça-feira sobre as medidas da equipe econômica, entre elas o congelamento das aposentadorias e pensões por dois anos. A ideia de congelar os benefícios previdenciários por dois anos foi confirmada pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. A medida atingiria tanto quem ganha um salário mínimo (hoje, em RR$ 1.045), como quem recebe acima disso e permitiria, inclusive, benefícios menores que o piso – o que é proibido atualmente.

“Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos. Quem por ventura vier propor a mim uma medida como essa eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, disse o presidente.

Bolsonaro ainda ressaltou que quem defende a proposta “não tem um mínimo de coração” e “um mínimo de entendimento” de como vivem os aposentados no Brasil. No Twitter, ele acrescentou que congelar aposentadorias e cortar auxílios é um “devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”.

*Com informações de Folhapress

 

Diário do Ribeira/Gazeta SP

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESTAQUES DO DIA