• Seja bem vindo ao Diário do Ribeira!
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

  • 8 de maio de 2021
  • 03:21

Cientistas dos EUA devem testar vacinas contra coronavírus

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

A OMS passou a classificar como ‘elevado’ o risco internacional do coronavírus

Os coronavírus são uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos
Foto: Divulgação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a classificar como “elevado” o risco internacional do coronavírus nesta segunda-feira após qualificá-lo como “moderado”. Segundo a entidade, houve um erro de formulação na avaliação anterior. O vírus já vem sendo estudado e cientistas dos EUA devem testar vacinas contra o coronavírus em humanos em até três meses, segundo a agência de notícias Reuters.

Em um comunicado sobre a situação, a OMS informou que sua “avaliação do risco (…) não mudou desde a última atualização (em 22 de janeiro): muito elevado na China, elevado em nível regional e em nível mundial”.

Em informes anteriores, a organização explicou que o risco em escala mundial era “moderado”. “Trata-se de um erro de formulação nos informes de situação dos dias 23, 24 e 25 de janeiro, e os corrigimos”, informou uma porta-voz da instituição, que tem sede em Genebra.

Na última quinta-feira (23) a OMS considerou que era “muito cedo” para falar em “emergência de saúde pública de interesse internacional”.

“Ainda não é uma emergência sanitária mundial”, mas “poderia ser”, declarou o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que viajou para a China.

A OMS só aciona a medida em casos de epidemias que necessitam de uma reação mundial, como o H1N1 em 2009 e o vírus da zika em 2016.

Até o momento, ao menos 81 pessoas morreram e mais de 2,7 mil foram infectadas na China, desde que a doença apareceu no final de dezembro. O vírus já foi detectado na Ásia, na Europa, Estados Unidos e Austrália. No surto de SARS, entre 2002 e 2003, a OMS criticou Pequim por ter adiado o alerta e tentado esconder a verdadeira dimensão da epidemia.

*Com informações do Estadão Conteúdo

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESTAQUES DO DIA